Greenpeace é acusada de apoiar a caça aos ursos polares e defender massacre de animais

A Ong Greenpeace, uma das instituições mais conhecida no cenário mundial por promover a luta em favor da proteção do meio ambiente pode ter seu nome manchado devido a uma grave acusação. O Capitão Paul Watson, famoso ativista ambiental, ex-membro e fundador mais conhecido da organização acusa a Greenpeace de apoiar a caça aos ursos polares e de defender o massacre desses animais.

Caça de ursos polares, urso polar, greenpeace, Captain Paul Watson, Paul Watson, caça, greenpeace brasil, ursos, Segundo Watson ele nunca poderia imaginar que a organização a qual ele ajudou a fundar pudesse trair completamente os fundamentos e ideais pelos quais o Greenpeace foi construído. “Nos anos setenta, eu jamais poderia imaginar que a organização que eu ajudei a fundar em 1972, ao lado de um grupo incrível de visionários, acabaria apoiando o assassinato de ursos polares, focas e baleias”, desabafa Watson em sua página no Facebook.

De acordo com Watson, gestão atual da instituição fez com que a Greenpeace passasse a endossar a prática abominável da caça, juntando-se ao World Wildlife Fund of Polar bear, decretando o seu fim. “A caça do urso polar é uma ato desprezível e que irá condenar centenas desses animais magníficos a sofrimento e a morte”, declara Watson.

Caça de ursos polares, urso polar, greenpeace, greenpeace urso polares, Captain Paul Watson, Paul Watson, caça, greenpeace brasil, ursos, Os ursos polares já enfrentam a ameaça das mudanças climáticas, o impacto da exploração de petróleo e a escassez de alimento, e ainda continuarão sendo caçados como troféus. O motivo? Manter o emprego dos guias da população Inuit, (um grupo indígena americano que habita o Ártico), que ganham a vida levando caçadores brancos e ricos para atirar em ursos. “Guiar caçadores para matar ursos polares não é uma tradição e nem tem qualquer validade como sendo parte da cultura Inuit”, explica Watson.

Segundo a denuncia, no ano passado a Greenpeace arrecadou 375 milhões de euros em doações, tornando-se uma grande máquina verde de arrecadação e agora existe para enriquecer seus colaboradores. O atual modelo de gestão vende uma ilusão de engajamento em prol da proteção do meio ambiente.

“A Greenpeace foi criada para proteger vítimas da ganância humana, mas agora está patrocinando os predadores humanos” diz Watson. Mais de trezentos ursos polares devem ser mortos esse ano, brutalmente baleados por rifles poderosos, nas mãos de milionários sádicos. O Greenpeace hoje defende que empregos são mais importantes do que a vida dos animais e o meio ambiente; e continuará promovendo sua propaganda “verde”.

Resposta da Greenpeace

Em sua página no Facebook, a Greenpeace Brasil argumenta que a organização não apoia e jamais apoiou a caça esportiva e comercial de ursos polares. A acusação feita pelo Paul Watson é falsa.

Em seu blog, a instituição argumenta que está a mais de 40 anos lutando em todo o mundo, de forma independente pela proteção do meio ambiente. Globalmente, entre as muitas vitórias que obtiveram em conjunto diversos apoiadores e parceiros está a proibição à caça de baleias, decidida em 1986.

Segundo a instituição, uma busca no site do Greenpeace e em outros materiais institucionais mostra que jamais apoiaram a caça esportiva e comercial de ursos polares. É importante ter isto como referência antes de reproduzir as acusações de Paul Watson, especialmente porque Paul Watson já saiu do Greenpeace há muitos anos. Desde então, ele mantém uma relação conturbada com a organização que ajudou a criar e que hoje não cansa de atacar.
Greenpeace é acusada de apoiar a caça aos ursos polares e defender massacre de animais Greenpeace é acusada de apoiar a caça aos ursos polares e defender massacre de animais Reviewed by Natureza e Conservação on 18:44 Rating: 5

Um comentário:

  1. A própria acusação, flagrantemente absurda, vem na forma de simples e irresponsável BOATO: não traz a comprovação do que afirma. As administradoras de notícias, de canais midiáticos, devem ter a responsabilidade de não veicular uma notícia (boato) sem o devido acompanhamento da contestação, logo na sequência: pode, se esse cuidado não adotar, jogar (também irresponsavelmente) por terra, todo um conjunto de esforços sinceros empenhados por décadas.
    O Cap Watson, evidentemente, está curtindo alguna grande "dor de cotovelo" por algo que só ele sabe, relacionado com os sucessos da organização que, também sabe-se lá porque, abandonou. Evidentemente, trata-se, a sua irresponsável fala, de simples desabafo devido a grande despeito pessoal seu, contra a maravilhosa organização, talvez mais precimente, contra alguém (antigo parceiro ou parceira), que nela permanece.

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.