Observação de baleias jubartes: conservação da espécie através do turismo, por Izalete Tavares

Não, você não leu errado! Hoje falaremos sobre o turismo de observação de baleias (whalewatching), no qual podemos estar em contato com esses gigantes em seu habitat natural. No período de julho á outubro as baleias jubartes - Megaptera novaeangliae deixam as águas frias da Antártida para acasalar e reproduzir nas águas quentinhas do litoral brasileiro, como por exemplo, na costa da Praia do Forte, na Bahia. 
baleias, baleia jubarte, observação de baleias, whalewatching, Megaptera novaeangliae, whale, baleia corcunda, baleia cantora, praia do forte, Bahia, fotografia de natureza, natureza, turismoOs turistas que visitarem a Praia do Forte poderão contratar o passeio com as agências de turismo parceiras do Instituto Baleia Jubarte, que realizam trabalho de pesquisa e conservação das baleias. A prática da observação de baleias está crescendo cada vez mais em todo o planeta, tendo como consequência direta o fim das atividades de caça e o aumento gradual da população das jubartes.
Na Praia do Forte (Mata de São João, Bahia), eu estive em alto mar com esses belos animais, em uma embarcação parceira do Projeto Baleia Jubarte, que sempre monitora os passeios e acompanha os operadores e guias para lembrá-los de como é importante respeitar as regras que garantem o bem-estar das jubartes e também de outras espécies marinhas. Antes do passeio para ver as jubartes eles recebem os turistas em seu Centro de Visitantes para uma palestra educativa, apresentando informações e curiosidades sobre elas.
Através da avistagem de jubartes é possível sensibilizar a população de forma única para a importância da conservação da espécie. Se uma foto vale mais que mil palavras, imagine o quão impactante é ver de perto esses gigantes nadando lado a lado da embarcação em que você está!
Durante o passeio, que dura em média 3 à 4 horas (após as baleias serem avistadas, a embarcação fica somente cerca de 30 minutos perto delas, para não haver estresse), é possível assistir um espetáculo com saltos, esguichos de água e cantos. Também é possível ver de perto as mães com seus filhotes, famílias, grupos nadando juntos e muito mais! Claro que, cada dia no mar é diferente e tudo dependerá de sua sorte e da mãe natureza. Mas o que é garantido é que será uma experiência única na sua vida.
Entre algumas das vantagens desse tipo de trabalho com turismo, estão: mínimo impacto ambiental; caráter educativo; renda para os locais em que são feitos os passeios; incentivo para o setor hoteleiro e turístico; vagas de empregos; contribuição para pesquisa científica e sensibilização da população para o desenvolvimento sustentável.
Apesar das vantagens, é preciso que esse tipo de atividade esteja sempre sobre constante monitoramento e rígida fiscalização, para que não haja perturbações ou incômodos indevidos aos animais, tendo em mente que quase sempre o turismo é feito em locais de reprodução.
No Brasil, a prática de observação de baleias é regulamentada por uma portaria do IBAMA que cuida de estabelecer as normas para prevenir e coibir o molestamento intencional de cetáceos em águas jurisdicionais brasileiras.
Siga o blog Natureza e Conservação no FacebookYouTube e Instagram.

Sobre a baleia jubarte

A baleia jubarte também é conhecida como baleia-corcunda ou baleia-cantora. Sendo um mamífero marinho da ordem dos cetartiodactylos, subordem dos cetáceos e infraordem dos misticetos, é uma das maiores representantes das espécies rorquais. Os adultos medem em média 12 a 16 metros e podem pesar de 35 a 40 toneladas. Os Machos da espécie medem aproximadamente de 15 a 16 metros, já as fêmeas de 16 a 17.
 whalewatching, baleias, baleia jubarte, observação de baleias, Megaptera novaeangliae, whale, baleia corcunda, baleia cantora, praia do forte, Bahia, fotografia de natureza, natureza, turismoQuando salta, eleva seu corpo quase completamente todo para fora d’água. Neste exato momento, suas longas nadadeiras peitorais, que chegam a medir até 1/3 de seu comprimento total, poderiam ser comparadas às asas de uma ave. Esta é a origem do nome Megaptera, que em grego antigo significa “grandes asas”, enquanto "novaeangliae" é sobre o primeiro local onde foi registrada a espécie, Nova Inglaterra. Machos produzem cantos belos e complexos que duram de 10 a 20 minutos com a finalidade de atrair as fêmeas para acasalar.
Baleias jubarte migram mais de 25 mil quilômetros a cada ano das áreas de alimentação para as de reprodução. Elas só se alimentam no verão em águas polares e migram para os trópicos e sub-trópicos para acasalar e terem seus filhotes no inverno e primavera. Sua dieta consiste de krill (animais semelhantes aos camarões) e peixes pequenos. Jubartes têm um vasto repertório de estratégias de pesca, incluindo a técnica de redes de bolhas.
Como as outras grandes baleias, essa espécie foi ameaçada pela caça industrial. Elas foram caçadas até a beira da extinção quando as populações foram reduzidas em 90% antes da moratória de 1966. As estimativas do número de indivíduos são em cerca de 80 mil exemplares. Mesmo com o fim da caça comercial, as baleias ainda sofrem com várias ameaças: emalhamento em redes de pesca, colisão com embarcações e poluição marinha.
Para mais informações sobre a baleia jubarte, acesse http://www.baleiajubarte.org.br/.
Siga o blog Natureza e Conservação no FacebookYouTube e Instagram.

Sobre a autora

Izalete Tavares busca através da fotografia registrar as belezas da natureza, contribuindo para chamar a atenção das pessoas para a necessidade de preservar o meio ambiente.
Observação de baleias jubartes: conservação da espécie através do turismo, por Izalete Tavares Observação de baleias jubartes: conservação da espécie através do turismo, por Izalete Tavares Reviewed by Natureza e Conservação on 22:38 Rating: 5

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.