Arceburgo: terra dos beija-flores enriquece fauna e flora nativas

Há mais de 10 anos dois projetos ambientais ganharam espaço em Arceburgo, no Sul de Minas Gerais. Ambos deram frutos e continuam se expandido. Na cidade, duas mil plantas, de 70 espécies produtoras de néctar, foram cultivadas em 50 locais públicos: praças, ruas, escolas, matas ciliares, trevos de acesso e também algumas residências. Hoje, as plantas dão flores de diversas cores e há floradas todos os meses.

Arceburgo, Minas Gerais, terra dos beija-flores, aves do brasil, aves de arceburgo, natureza, beija-flores, extinção, aves de minas gerais, birds, birding Brazil, fauna, floraO objetivo inicial do paisagista e ambientalista Ademir Carosia está sendo atingido: trazer de volta beija-flores que deixaram de ser vistos no município em consequência de desmatamento e queimadas. Ao procurarem alimento em terras distantes, nem sempre retornavam. Mais de uma década depois, já foram registradas 16 espécies. Algumas raras em Minas Gerais, como o beija-flor-de-bochecha-azul (Heliothryx auritus) e o beija-flor bico-reto-azul (Heliomaster furcifer).

O segundo projeto foi viabilizado depois que Carosia assumiu a Secretaria Municipal de Meio Ambiente de Arceburgo, em 2005. Dois anos depois, nasceu o Bosque dos Pássaros, em uma área de 4.730 m², anteriormente usada para descarte de lixo. Próximo ao trevo que dá acesso ao Estado de São Paulo, através de Mococa, o espaço recebeu 200 árvores de 90 espécies nativas, a maioria ameaçadas de extinção.

Um dos resultados é o aumento e diversidade de pássaros, abelhas, borboletas e outros animais. Nessa nova área ainda se formou um cinturão verde. “As árvores já formadas e altas não mais dependem de cuidados humanos, seguem seu curso, dando sementes, flores, frutos, criando serrapilheira e outras mudas ao lado das plantas-mãe. As sementes se  dispersam pelo vento e através das aves”, informa o ambientalista, que também questiona: “O bioma predominante de Arceburgo é Mata Atlântica, mas em alguns lugares registrou Cerrado. Seria já uma área de transição?”

No site Wiki Aves, o maior da categoria, Arceburgo tem registro de 228 espécies de aves, incluindo 16 diferentes beija-flores. Ocupa a 66ª posição entre os 853 municípios mineiros. No quesito sons/cantos de aves em Minas Gerais, está em 38º lugar com 104 gravações. São grandes conquistas de um dos menores municípios do Estado, com 162,46 km².

Ninho na entrada de casa

Em 2016, Ademir Carosia iniciou  um levantamento de locais com ninhos de beija-flores na área urbana, rural e residências. Encontrou ninhos isolados, debaixo de uma ponte, e outros mais familiarizados com os moradores. Em uma planta de vaso, próximo à porta de entrada de uma casa no Centro da cidade, uma besourinha-de-bico-vermelho (Chlorostilbon lucidus) criou dois filhotes. O ambientalista orienta: “Se não forem molestados, eles irão retornar sempre ao mesmo ninho”.

Outra ação para atrair outros beija-flores e preservar os já existentes está prevista para 2017: cultivar mais de 200 mudas de plantas com néctar. Este trabalho voluntário tornou o paisagista um consultor  nesse ramo. Carosia já desenvolveu projeto semelhante em sítios, fazendas, empresas e outras propriedades.

Com uma população de 10.262 habitantes (IBGE, 2014), Arceburgo tem 124 anos está se tornando mais verde, colorido e ecologicamente turístico. O blog Ademir Carosia registra os principais processos desses dois projetos e ainda divulga a cidade dos beija-flores pelo Brasil e mundo afora.

Fonte: Silvio Reis
Arceburgo: terra dos beija-flores enriquece fauna e flora nativas Arceburgo: terra dos beija-flores enriquece fauna e flora nativas Reviewed by Natureza e Conservação on 16:35 Rating: 5

Um comentário:

  1. Obrigado pelo destaque. É muito gratificante criar espaços para ajudar toda forma de vida.

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.